segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

O bem e o mal

“A TRANSGRESSÃO do ímpio diz no íntimo do meu coração: Não há temor de Deus perante os seus olhos. Porque em seus olhos se lisonjeia, até que a sua iniqüidade se descubra ser detestável. As palavras da sua boca são malícia e engano; deixou de entender e de fazer o bem. Projeta a malícia na sua cama; põe-se no caminho que não é bom; não aborrece o mal. A tua misericórdia, SENHOR, está nos céus, e a tua fidelidade chega até às mais excelsas nuvens. A tua justiça é como as grandes montanhas; os teus juízos são um grande abismo. SENHOR, tu conservas os homens e os animais. Quão preciosa é, ó Deus, a tua benignidade, pelo que os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas. Eles se fartarão da gordura da tua casa, e os farás beber da corrente das tuas delícias; Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz. Estende a tua benignidade sobre os que te conhecem, e a tua justiça sobre os retos de coração. Não venha sobre mim o pé dos soberbos, e não me mova a mão dos ímpios. Ali caem os que praticam a iniqüidade; cairão, e não se poderão levantar.” (Salmo 36)



Porque é tão fácil para nós praticarmos o mal? Tudo o que é bom e correto aos olhos de Deus, segundo a sua palavra, é tão complicado de inserirmos em nossos hábitos.
Certo pensador comentou, que, a melhor maneira de fugir do mal é ir atrás do bem. Pense nessa frase: se ao invés de praticar o mal, eu devo ir atrás do bem, então devo seguir na direção oposta, porque esses dois pólos não se atraem, preciso então, mudar a minha atitude e seguir um caminho totalmente inverso.
Cada pessoa ao nascer foi dotada de uma dádiva muito preciosa: a consciência. Nossa consciência avisa-nos do perigo, ela alerta-nos toda vez que estamos prestes a cometer algum deslize, se o cometermos mesmo ante o aviso da consciência, então ela muda de alerta para acusação incessante, dia e noite, sem descanso, até que resolvamos o problema a contento. Diante de muitos e muitos avisos ignorados, nossa consciência morre, a partir daí não importa mais o que façamos de grave ou perigoso que o aviso não vem mais... É aí que reside o perigo!
Essa é a realidade de nossa vida. Ao nascer, Deus nos deu na consciência a capacidade para ouvi-lo em todos os momentos, se obedecermos a sua voz, seguindo as instruções que estão no livro sagrado, nossa consciência fica tranqüila, se pecarmos contra os preceitos de Deus, ou mesmo os nossos, a consciência pesa e nos acusa incessantemente. Mas em todos os momentos, enquanto houver vida, há esperança de arrependimento, de voltar atrás do erro e pedir perdão a Deus, e Ele vai dizer as mesmas palavras que disse à mulher pecadora: “Vai! E não peques mais.”
Que bom saber que temos um Deus grande e fiel com quem podemos contar. Um Deus tão Poderoso que pode perdoar os nossos pecados, falhas e fraquezas. A partir de hoje, persiga o bem, ouça a voz de sua consciência, busque a Deus que as coisas irão mudar em sua vida e estarás abrigado à sombra das asas de Deus, o Todo Poderoso!

Um comentário:

cleuza disse...

Muito boa sua postagem. O apóstolo Paulo chega a perguntar: Quem me livrará do corpo dessa morte? O bem que quero não faço, mas o mal está sempre diante de mim.
Só Jesus pode rasgar o escrito de morte sobre nossas vidas. Só ele pode nos livrar do peso do pecado.